Inovação

Produção de carne orgânica tem maior potencial mundial de crescimento

Quando o assunto é alimentação orgânica, normalmente tomamos como base frutas, legumes e verduras cultivados sem o uso de agrotóxicos. Mas você sabia que a alimentação orgânica não se resume unicamente à agricultura? Hoje em dia, a produção de carne orgânica também está conquistando o brasileiro.

Por definição, todo produto orgânico é caracterizado por ser um alimento sadio, limpo, cultivado sem agrotóxicos ou fertilizantes químicos. Além disso, para ser considerado orgânico, o sistema precisa ser baseado em uma produção sustentável, ecologicamente correta e socialmente justa.

Seguindo essas regras, a carne orgânica representa um dos mercados de maior potencial de crescimento no mundo. Para entender melhor as características deste de sistema em franca ascensão, conversamos com a Marfrig, que possui uma unidade produtora de carne orgânica na cidade de Tacuarembó, no Uruguai.

Carne orgânica: o que é?

Assim como ocorre com todos os alimentos orgânicos, a carne orgânica representa um tipo de carne produzida a partir de um sistema que priorize ações ambientalmente corretas, socialmente justas e economicamente viáveis, ou seja, a produção é muito mais segura em todos os seus aspectos.

No ponto de vista de aparência, a carne orgânica assemelha-se às carnes bovinas convencionais. Entretanto, a principal diferença está no modo de produção, já que a produção orgânica garante um produto de qualidade muito superior devido, dentre outras coisas, à forma com que o gado é criado.

Baseado neste aspecto sustentável, para que produza carne orgânica, este sistema produtivo precisa passar por auditoria e certificação que garantem uma produção mais natural possível, isenta de resíduos químicos e com preocupação socioambiental.

No Uruguai, a carne orgânica processada pela Marfrig possui todas essas características sustentáveis. “Os animais que utilizamos são fornecidos por fazendas que participam de um clube de produtores certificados. Esses animais recebem alimentação via pasto, sempre sem a utilização de hormônios ou antibióticos”, diz a empresa.

Além disso, a pastagem, principal alimento do gado, deve ser isenta de herbicidas ou fertilizantes químicos ou outros elementos que infrinjam o aspecto orgânico da produção. A Marfrig ressalta ainda que a carne orgânica produzida no Uruguai é de gado bovino, mas que há também a possibilidade de fornecer carne de ovinos.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...
Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *