Tecnocarne Digital faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Você sabe os desafios do desenvolvimento de produtos cárneos?

Você sabe os desafios do desenvolvimento de produtos cárneos?

Mais do que “simplesmente” pensar em novos produtos cárneos que impactem o mercado e tragam novos consumidores para as empresas, é necessário prestar atenção na qualidade final do alimento, sua vida útil, sua estabilidade, deterioração e nos testes que devem ser realizados durante o processo de desenvolvimento daquele produto.

Segundo a diretora técnica do centro de tecnologia de carnes do Ital (Instituto de Tecnologia do Alimento), Ana Lúcia da Silva Corrêa Lemos, é preciso lembrar que qualidade é resultado da estabilidade e segurança do produto, pois às vezes produtos pode estar estável, mas inseguro, por facilitar o crescimento de microrganismos patogênicos.

A estabilidade é algo essencial para esses tipos de produtos, especialmente salsichas e hambúrgueres. “Quem nunca viu hambúrguer diminuir de tamanho enquanto é preparado e o embutido estufar ou entortar durante o cozimento?”, questiona Ana Lúcia.

Cuidados

Ainda de acordo com a diretora técnica do centro de tecnologia de carnes do Ital, um dos testes realizados durante o desenvolvimento do produto é o teste acelerado, no qual o alimento é armazenado em temperatura e/ou umidade relativa superiores às usuais, para acelerar as reações. As alterações são analisadas e, com base nos parâmetros cinéticos das reações, extrapolam-se os resultados com alguma segurança.

Mas é necessário cuidado com esse tipo de teste, pois ele não é recomendável para produtos cárneos, exceto os congelados e desidratados. Esses testes são normalmente realizados em empresas familiares de pequeno e médio porte, dirigidas pela terceira geração da família que decide mudar a produção do alimento deixa de ser bom.

Ana Lúcia recomenda que para análise da carne, sejam observados:

  1. Alterações físicas, como mudança na cor na proteína;
  2. Alteração química, como acidez da carne e oxidação da gordura;
  3. Percepção dos aspectos visuais e de odores da carne.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar