A Tecnocarne

Confira páginas mais acessadas em Tecnocarne digital no último trimestre de 2017

Inovações em processos, normas e legislações têm sido cada vez mais frequentes no mercado de proteínas. E isso independe se o estabelecimento é um abatedouro, açougue ou frigorífico e se a proteína é bovina, suína ou de aves. Quer saber mais sobre esses sistemas e como fazer seu estabelecimento funcionar melhor? Confira os cinco materiais mais acessados no canal digital da Tecnocarne no último trimestre de 2017;

9 passos essenciais para montagem e funcionamento de um abatedouro modelo. Como em qualquer instalação industrial, o abatedouro também possui regras ou manuais de boas práticas. Como sua produção final impacta diretamente na saúde do consumidor, há etapas fundamentais para o bom funcionamento, montagem e operação de abatedouros de diferentes espécies animais, de acordo com as dicas do pesquisador Elsio Figueiredo, da Embrapa  Suínos e Aves de Concórdia, em Santa Catarina.

Como armazenar carnes corretamente no açougue ou frigorífico? Armazenamento de carnes é uma das maiores preocupações de açougues e frigoríficos. Isso porque, além de preservar o alimento por longos períodos sem prejudicar sua qualidade sensorial, a forma como a carne é armazenada afeta diretamente a sua qualidade microbiológica e, consequentemente, a saúde dos consumidores.

16 mudanças importantes no Riispoa que você precisa conhecer. O Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal passou por mudanças, impactado os produtores de carnes bovina, suína, de aves e peixes. A partir de agora, as punições de irregularidades na produção de alimentos a partir dessas proteínas estão mais rigorosas.

Você sabe como realmente identificar uma boa carcaça? Todo pecuarista se pergunta  como identificar a melhor carcaça entre meus animais enviados ao frigorífico? De acordo com a professora do curso de Zootecnia da UEL (Universidade Estadual de Londrina), Ana Maria Bridi, a classificação e tipificação de carcaças servem para direcionar as carcaças, de acordo com a qualidade, para os diferentes tipos de mercado.

Diferentes tipos de proteínas exigem diferentes padrões de carcaças. Conheça critérios para aves, suínos e bovinos. Deve-se realizar um melhoramento genético buscando animais que apresentem boas características qualitativas e quantitativas, sempre de forma harmônica. O transporte da fazenda para o abatedouro também deve receber atenção especial, onde se deve reduzir o máximo de efeitos causadores de estresse ou escoriações que irão penalizar a carcaça.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *