Boas Práticas

6 passos para proteger seus funcionários de vazamentos de amônia

Frigoríficos são tipos de indústrias que necessitam de grandes ambientes refrigerados, destinados à conservação de carnes e para promover uma eficiente refrigeração, os frigoríficos costumam usar a amônia.

Esse elemento químico é um dos mais utilizados devido ao seu custo-benefício mais reduzido. Possui também uma propriedade físico-química que gera elevado calor de vaporização, por isso é um dos gases de melhor eficiência energética.

Porém, mesmo apresentando grande eficiência, há muitos relatados de vazamentos de amônia em frigoríficos no Brasil todo, devido à diversas falhas na manutenção dos sistemas de refrigeração, trazendo problemas para a proteção de funcionários e em casos mais graves, até explosão.

O papel da amônia em frigoríficos

A amônia é uma substância química (de fórmula NH3) que tem como uma de suas principais propriedades físico-químicas um elevado calor de vaporização, que garante a esse gás alta eficiência energética, sendo interessante para a refrigeração em frigoríficos.

A amônia também contribui com a redução dos custos do frigorífico, como garante o diretor técnico comercial da Enesens Sistemas de Detecção, Alexandre Sá; “devido ao elevado calor de vaporização que garante melhor eficiência energética, a amônia contribui para reduzir os custos de OPEX e CAPEX nas indústrias”.

Outro ponto muito importante citado por Sá relaciona-se a questão ecológica:

A amônia é o gás refrigerante mais ecológico, já que pertencente ao grupo dos gases refrigerantes denominados ‘naturais’, portanto possui zero potencial de aquecimento global (GWP) e zero potencial de deterioração do ozônio (ODP)”.

Problemas na manutenção? Veja os riscos do vazamento de amônia

A amônia é considerada um gás não prejudicial a camada de ozônio ou ao aquecimento global. Porém, quando há falhas na manutenção, pode causar sérios problemas, principalmente em lugares fechados, como os frigoríficos.

Na área da saúde e segurança de funcionários, Sá ressalta que a amônia oferece efeitos adversos mesmo em baixas concentrações. “A amônia possui um odor caustico (corrosivo) prejudicial as vias respiratórias, ocular e nasal, causando dor, irritação e nos casos mais graves, pode causar morte por asfixia química”.

Houve vazamento: Como proceder?

No Brasil, há diversas normas que tratam do correto manejo de amônia como medida de proteção de funcionários. Estas, trazem os procedimentos mais adequados em caso de vazamentos. Um exemplo é a NBR 16186/2013 – Refrigeração comercial, detecção de vazamentos, contenção de fluido frigorífico, manutenção e reparos.

Porém, Sá ressalta que a ação mais importante parte das próprias empresas: “As empresas devem estabelecer por escrito um plano de emergência para ações em caso de vazamento da amônia. Ações que devem sempre se basear nas normas regulamentadoras”.

Mas, acima de tudo, Sá sugere que para garantir total proteção de funcionários, as empresas devem realizar treinamentos práticos para todos seus colaboradores, “essa é a garantia de que exista um plano de ação eficiente caso um vazamento venha ocorrer”, explica.

Em linhas gerais, Sá sugere algumas ações que devem ser tomadas de forma imediata:

  1. Avisar o pessoal da segurança do corrido;
  2. Evacuar todas as pessoas se necessário;
  3. Remover toda fonte de ignição e;
  4. Providenciar ventilação adequada para dispersar o gás;
  5. E em caso de vítimas, sugere algumas medidas de primeiros socorros. Em caso de contaminação com os olhos é fundamental que estes sejam lavados com água corrente durante 15 minutos;
  6. Na contaminação por inalação, deve-se remover a vítima para a área não contaminada e arejada e administrar o oxigênio, se disponível, sob máscara facial ou cateter nasal.

Medidas preventivas que garantem a proteção de funcionários

Para garantir total proteção de funcionários, a correta manutenção e as medidas preventivas devem ser prioridade.

Para contribuir com isso, em 2013 foi aprovada a Norma Regulamentadora nº 36 – Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados. “Conhecida como NR dos Frigoríficos, a NR36 busca a prevenção e a redução de acidentes de trabalho nesses ambientes”, explica Sá.

Relacionado a agentes químicos, que é o caso da amônia, a NR36 ressalta o uso da Detecção Precoce de Vazamentos, ou Detecção de Gás, como procedimento eficaz que garantem a máxima Proteção de funcionários.

Os detectores de gás são equipamentos responsáveis por monitorar a concentração de gases no ambiente e alertar, de forma sonora e visual, caso essa concentração ultrapasse os limites permitidos pelas legislações”, explica o representante da Enesens.

Além da detecção de gás, para garantir segurança e proteção de funcionários, Sá aconselha que os frigoríficos entendam os riscos que seus funcionários estão expostos, se certificar que as calibrações dos equipamentos estão em dia e tomar as melhores decisões de procedimentos de segurança aplicados a sua realidade.

Por fim, é fundamental que o gestor do frigorífico priorize a manutenção de seus equipamentos de refrigeração. Afinal, a segurança e proteção dos funcionários devem representar preocupação “número 1” de toda empresa.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *